quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Una vela sin fuego ni cera

Na Espanha ninguém pode reclamar que a igreja católica não se moderniza. Tá certo que não é exatamente a modernidade que muita gente espera, já que se formos avaliar os comentários públicos dos bispos daqui, acho que são muito mais conservadores do que os brasileiros.

Digamos que aqui eles são mais práticos, então. Cheguei a essa conclusão depois de visitar algumas igrejas históricas de Madrid, no último final de semana, e descobrir que é impossível acender uma velinha sequer para o seu santo de devoção. Os espanhóis trocaram a cera, o pavio e fogo pelo plástico e pela eletricidade.

Nos pés dos santos, as velas elétricas são a única maneira de fazer uma homenagem, um pedido ou agradecimento ao protetor. Não encontrei ninguém que conseguisse me dar uma explicação para tal mudança, que na minha opinião é bastante esquisita e tira o sentido da tradição. Mas levando em consideração que o fiel deve pagar 0,20 euros (R$ 0,54) para ter sua eletro-vela acendida, acho que o método é mais rentável para a igreja do que comprar caixas e caixas da “antiga” vela.

E até a maneira de pagar o que eles chamam de oferenda é moderna. O velário elétrico é dotado de um sistema de cobrança automático, onde só é preciso colocar uma moeda na maquininha, sem complicações.

Não sei como é no resto da Europa, mas já me informei que a eletro-vela é adotada em muitas partes da Espanha e de Portugal. Vai entender!

10 comentários:

Roberto Pérez disse...

A mí también me sorprendieron la velas eléctricas la primera vez que las ví, pero me pareció más sorprendente aún ver, en París, máquinas expendedoras de Souvenirs en la puerta de las iglesias. ¡Como si fueran máquinas de CocaCola! La modernidad llega también a la Iglesia... jejeje.

Daniel Ferreira disse...

E olha, Abreu, que não demora muito e essa "modernidade" chega as igrejas do Brasil...Se não à católica, talvez, quem sabe, nas protestantes...

Hum...feijao tropoeiro...hum..é uma delicia tb...rsrs
Interessante nota que a mandioca na Espanha tem o nome de YUCA, conforme voce escreve para mim. Outra coisa que acho muito interessante, analisando as suas observações/comparações textuais diárias, são os valores cobrados por nossas iguarias aí na Espanha. Um suco de graviola que custa aqui no Brasil um real e ciquenta centavos, num copo de 500 ml., aí na Espanha pode valer o triplo do valor original daqui....Claro que muitas coisas incidem sobre a importação de qualquer produto, que faz o seu valor ir para cima, mas ainda assim...complicado, não?! Risos.
Na verdade, precisamos é valorizar ainda mais todas as nossas riquezas...
Saudações, Abreu!
E continue a nos presentear com os seus textos!

Saviano Abreu disse...

Roberto,
A mí me parece que usais demasiado ese recurso de las máquinas.. no sé.. es práctico, pero me mola hablar con la gente al momento de comprar alguna cosa.

Saviano Abreu disse...

Daniel,
de verdade espero que demore muuuuito.. nao gostei das velinhas elétricas, apesar de bem simpáticas. rsrs
Quanto ao suco, bota triplo nisso. sao quase 12 reais. Fruta aqui nao é uma coisa com bom preço. Mas o clima também nao ajuda, eles produzem bem menos do que nós.

Martinha disse...

bem legal esse post. boa foto do santinho!!!

Vanessa disse...

Na minha opinião modernizar a igreja não é colocar velas elétricas. Isso modifica completamente o sentido, a tradição de acender uma vela pra agradecer ou pedir algo ao seu santo de devoção.
E olha que no Brasil já tem coisa parecida... um site, lá de Aparecida do Norte, já te dá a opção de acender uma vela on line para fazer o seu pedido... Absurdo isso!!!

Eu, como uma participante e praticante da religião católica, continuo com a minha antigüidade.

Paz e bem a todos !!!!

Saviano Abreu disse...

Martinha,
Brigado.. apareça sempre.

Saviano Abreu disse...

Vanvis,, tb nao gostei.. o fogo eh o sentido da vela.. sem ele nao tem graça.. sem contar que nao ia gastar com uma pampadazinha daquelas.. rsrsrs

Por Ricardo Cazarino disse...

Olá! Que bacana e intrigante essa informação! Realmentem, assim como vc, fiquei surpreso e curioso em conhecer de perto! Uma curiosidade: se der uma pane elétrica, como ficam os pedidos? rs - Muito bacana teu espaço aqui.
Abs.

Saviano Abreu disse...

Ricardo,
Sinceramente, nao sei.. eles devem ter geradores, né? Ou voltam ao velho e bom recurso da vela normal, como fazemos qdo acaba a luz das nossas casas.. rsrsrsrsrs. E ainda nao consigo concordar com isso.